Drenagem Linfática Benefícios

Drenagem linfática é uma terapia com movimentos próximos à massagem, apesar de não ser uma, e tem como função o transporte e eliminação de líquidos retidos no organismo. O método pode ser realizado no corpo todo e também no rosto.

Quando falamos em drenagem linfática, logo apreciamos em redução de peso, de celulite, melhora de inchaço, entre outros benefícios estéticos. Existem mitos sobre o tema, o que leva muitas pessoas às clínicas estéticas, que acabam se ludibriando por não terem o resultado esperado.

A drenagem linfática é indicada apenas para quem retêm líquidos. Se este não é o seu problema, o mercado estético dispõe de centenas de tratamentos eficazes para gordura, celulite, entre outros problemas estéticos.

Normalmente quem sofre com o problema, percebe uma diferença no peso ao deitar e ao acordar que pode chegar, em média, a 2kg. O uso de roupas apertadas, também costuma marcar bastante quem sofre com o problema, ficando bem muito mais fundo onde a roupa aperta.



Drenagem linfática não é massagem, não dói, não deixa marcas e não deve ser feita em conjunto com outras massagens. Se você tem o hábito de fazer outros tipos de massagem, deixe para fazer em dias diferentes, para uma não prejudicar o resultado da outra.

Os movimentos são lentos e ritmados, pois a vontade não é atingir os músculos e sim os capilares linfáticos, que ficam acima da musculatura, por conta disso a pressão é bem suave e relaxante. Os efeitos são notados logo após a sessão.

O processo todo é feito de forma manual, apesar de que hoje existem aparelhos no mercado que prometem os efeitos drenantes, mas seus efeitos ainda são duvidosos e causam muitas controversas entre os Odontólogo da área. O método manual ainda é o mais sugerida e seguro.

Em alguns casos, o a drenagem linfática só pode ser praticada apenas com liberação médica. O método pode ser feito por homens e mulheres, 1 vez por semana, em média. Não há um números de sessões pré definido varia muito de pessoa para pessoa, há casos em que o hábito deve se manter a vida toda.

Em quadros extremos de absorção como durante a gravidez (apenas após o terceiro mês) e em pré e pós-operatórios, a drenagem linfática pode ser realizada todos os dias, a a quantia e a periodicidade das sessões, são estabelecida através de consulta e liberação médica.

Drenagem Linfática pode proporcionar resultados,Acesse Dra. Adriana



A média é de 10 sessões para pré-operatório e de 30 à 40 para pós-operatório. Para gestantes, a média é de 2 sessões semanais do quarto mês até o fim da gestação. Muito além dos benefícios estéticos, cuidar do sistema linfático é cuidar da saúde.

O sistema linfático é formado pelas tonsilas faríngeas e palatinas, mais popularmente conhecidas como adenoide e amídalas. Elas têm como função defender o organismo de infecções provocados por vírus e bactérias que introduzimos pela boca ou pelo nariz, além de serem produtoras de anticorpos, entretanto, não são vitais, podendo sem retirados cirurgicamente, principalmente quando inflama com frequência, não causando grandes prejuízos ao organismo.

Fazem parte também dois órgãos muito importantes, o timo e o baço. A principal função do timo é a produção de linfócitos, ou glóbulos brancos, que protegem o corpo todo da invasão de bactérias e vírus, além disso assegura o funcionamento de todos os órgãos e evita o crescimento anormal de células cancerígenas. Seu principal papel é durante a infância, quando adulto, tais funções são melhores realizadas pelo baço.

O baço é o maior órgão linfático e, além da sua função no sistema imunológico, faz a troca das células sanguíneas, destruindo as antigas e produzindo novas.



Por fim, temos os linfonodos e os capilares linfáticos. Os linfonodos, ou gânglios linfáticos, estão localizados através do corpo, e funcionam como um “ralo” do sistema linfático, sendo bombeados durante a drenagem linfática. Os principais linfonodos estão localizados na virilha (inguinais) e nas axilas (axilares). Os capilares linfáticos percorrem o corpo todo, assim como os capilares venosos, e desembocam em veias próximas ao coração.

Ao melhorarmos os hábitos de vida, como ter uma alimentação saudável, dando ênfase alimentos frescos e orgânicos, o consumo de pelo menos 2 litros de água diários e também a prática de atividades físicas, já contribuímos para um bom funcionamento do sistema linfático. Se mesmo com bons costumes a retenção ainda persistir, é recomendado, recorrer à drenagem linfática.

Acabamos sobrecarregando o organismo de agentes tóxicos, de emoções tóxicas, e a quantidade de lixo que bombardeamos no sistema linfático diariamente é tão grande que ele acaba não dando conta de tanto trabalho.

Aneurisma de Aorta Cirurgia

Um aneurisma da aorta torácica é uma área dilatada na parte superior da aorta, a maior artéria do corpo humano, que é responsável por transportar o corrente sanguínea. rico em oxigênio para as demais partes do organismo.

As causas exatas do aneurisma da aorta torácica são não conhecidas mas elementos que podem contribuir para o desenvolvimento de um aneurisma incluem:

Quando as muros das artérias ficam repletas de placas de gordura, elas se tornam menos flexíveis e mais estreitas. Este processo, chamado de aterosclerose, é favoravél quando a pessoa tem o colesterol alto e a pressão arterial elevada.

As pessoas que Surgem com síndrome de Marfan, uma doença genética que afeta o tecido conjuntivo no corpo, estão sob um risco maior de desenvolver um aneurisma da aorta torácica. Além desta, outras doenças do tecido conjuntivo, como as síndromes de Ehlers-Danlos e Loeys-Dietz, podem contribuiu para a ocorrência de um aneurisma da aorta torácica.



Condições inflamatórias, como a arterite de células grandes e arterite de Takayasu, também pode causar aneurismas da aorta torácica.

Pessoas com problemas na válvula aórtica, que transporta o sangue para fora do coração, têm um risco Ampliando de desenvolver aneurisma da aorta torácica.

Apesar de não ser uma das causas mais comuns de aneurisma da aorta torácica, uma pessoa está mais propensa a desenvolver esta condição se teve uma infecção não tratada, como sífilis ou salmonela.

Algumas pessoas que sofrem graves lesões em quedas ou em acidentes de carro, por exemplo, podem desenvolver aneurismas da aorta torácica com mais facilidade.

Os mais  fatores de risco para um aneurisma da aorta torácica incluem:

Idade: aneurismas da aorta torácica acontecem mais frequentemente em pessoas acima dos 65 anos

Tabagismo: o uso do cigarro é um forte fator de risco para o desenvolvimento de um aneurisma da aorta torácica. Quanto maior o tempo de fumo, maior é o risco de desenvolver a doença

Hipertensão: acréscimo da pressão arterial causa danos aos vasos sanguíneos do corpo, aumentando as oportunidades de uma pessoa desenvolver um aneurisma da aorta torácica

Aterosclerose: o acúmulo de gordura e Exemplos de  substâncias que podem prejudicar o revestimento de um vaso sanguíneo aumenta o risco de um aneurisma da aorta torácica

Histórico familiar: pessoas que têm histórico na família de aneurisma da aorta torácica têm um maior risco de vir a desenvolver a doença.

Aneurismas da aorta torácica geralmente crescem vagarosamente, e não manifestam sintomas, tornando-os muito difíceis de detectar. No entanto, o desenvolvimento de um aneurisma é muito difícil de prever. Alguns aneurismas tendem pequenos e permanecem pequenos, outros se expandem ao longo do tempo. Há aqueles, inclusive, que nunca se romperão. A questão é que quando um aneurisma da aorta torácica cresce, os sintomas aparecem. Veja alguns:

A grande maioria das pessoas com aneurismas da aorta não têm sintomas, a menos que seja um caso de dissecção ou de ruptura do aneurisma. Em ambos os casos, Procura atendimento de emergência. Saiba reconhecer os sinais da ruptura do aneurisma:

Se você tiver histórico familiar de aneurisma da aorta torácica, de síndrome de Marfan ou de outra doença do tecido conjuntivo, o médico pode indicar exames de ultrassom regulares para triagem de aneurisma.



Aneurismas da aorta torácica são frequentemente encontrados durante exames clínicos de rotina, como uma radiografia de tórax ou ultrassom do coração ou no abdômen. Muitas vezes os pacientes vão fazer esses exames por outros motivos, sem nem desconfiar de que estão com aneurisma.

O objetivo do tratamento é impedir que o aneurisma se rompa. Geralmente, as opções de tratamento são acompanhamento médico ou cirurgia. A decisão quanto à melhor opção de tratamento depende do tamanho do aneurisma da aorta e o quão rápido ele está crescendo.

Agora, se você tem pressão arterial elevada ou bloqueios em suas artérias, é provável que o médico prescreva medicamentos para baixar a pressão arterial e reduzir os níveis de colesterol, a fim de reduzir o risco de complicações decorrentes do aneurisma. Estes medicamentos podem incluir:

Se o aneurisma da aorta torácica é pequeno, o médico pode recomendar o acompanhamento clínico, que inclui consultas regulares para garantir que o aneurisma não está crescendo e a gestão de outras condições médicas que podem piorar o aneurisma.

Se você tem um aneurisma da aorta torácica, a cirurgia também pode ser uma opção, principalmente para casos em que o aneurisma for maior do que o considerado seguro. Dependendo do tamanho e da localização do aneurisma ao longo da aorta torácica, o médico poderá recomendar uma entre as três opções cirúrgicas que existem.

Veja algumas informações sobre as causas e tratamento Aneurisma da Aorta

Prótese de Panturrilha Tamanhos

A panturrilha, principalmente entre os homens, é uma das partes do corpo que mais se almeja definir. É comum em academias ver pessoas se exercitando e, apesar de para algumas pessoas ser relativamente fácil enrijecer essa musculatura, para outras não. Há ainda os casos de danos provenientes de acidentes ou determinadas condições de saúde que dificultam o enrijecimento dos músculos.

O procedimento é sugerida para pacientes que apresentam uma “batata da perna” com projeção muito pequena e desproporcional em relação ao resto do corpo. A panturrilha, para ter conjunto com a perna como um todo, necessita ter um tamanho que acompanhe o das coxas, para que não dê a impressão de que é fina demais. A inclusão de prótese de silicone aumentando  o volume da parte anterior das pernas, tornando mais harmônico o seu contorno.

A cicatrização é um fator que não depende apenas da experiência do médico, mas muito da genética do paciente, levando a melhor ou pior cicatrização do local, o grau de flacidez da pele, aumento de gordura, tamanho da prótese, dentre outros.



Tamanho da prótese de silicone



Um dos maiores dilemas para quem buscam fazer a cirurgia de panturrilha é o tamanho da prótese de silicone. É necessário um dialogo entre o paciente e a equipe missionária / apostólica cirúrgica para um bom resultado e satisfação do paciente. Ao contrário do que a maioria pensa, quem deve dar a palavra final para essa escolha é o cirurgião plástico e não o paciente. Isso pelo fato de porque é um fator que não depende apenas do bom senso estético, mas das condições físicas e das possíveis consequências para o corpo do homem ou da mulher.



Pré-operatório



O resultado pós-operatório depende não só do cirurgião, local da cirurgia e equipe cirúrgica.

Depende também de elementos, relacionados ao próprio paciente. Cuidados são necessários no pré-operatório. Como exemplo, planejar suas atividades sociais, domésticas ou escolares de modo a não se tornar indispensável a terceiros por um período de aproximadamente dez dias.

Comunique a Clínica em caso de gripe, antipatia ou antecedência do período menstrual.

Tente evitar tomar aspirina ou medicamentos, contendo AAS (ácido acetil salicílico) e vitamina E, pelo menos nas duas semanas que antecedem à cirurgia, pois poderá interferir no processo de coagulação. Isso inclui Ginko-Biloba.

Evitar todo e qualquer medicamento para emagrecer e/ou diurético que em alguns casos, esteja usando, por dez dias antigas ao ato cirúrgico.

Não fume nos 15 dias que antecede a cirurgia e nas duas semanas de pós-operatório, pois poderá haver retardo da cicatrização.



Ficar em jejum absoluto – sólidos e líquidos – por pelo menos oito horas que antecede o horário da cirurgia.

O tipo de efeito de anestesia depende de uma série de elementos Após avaliação, o anestesista opta pelo tipo de anestesia mais indicada para o paciente, podendo ser bloqueio regional, raqui anestesia ou peri anestesia. Em alguns casos, pode ser indicada até mesmo anestesia geral. A incisão é bem discreta e realizada na parte posterior do joelho, perto do sulco posterior de cada joelho. Cada cicatriz tem, em média, 2,5 cm. Após dissecção do local para acomodar a prótese confortavelmente sobre o músculo, é colocada a prótese estéril bilateralmente e analisada simetria das mesmas, com fechamento por planos da incisão realizada.

Tudo sobre Prótese de panturrilha, Dr.Frederico

Tratamento para doença arterial periférica

Saiba como tratar ou evitar a doença arterial Contorno Ela está por trás de sintomas como cansaço e dores nas pernas – e pode indicar infarto e AVC

A doença arterial periférica (DAP) prejudica a circulação do sangue nas pernas e provoca, entre outras coisas, dor na hora de caminhar. Na maioria das vezes, a obstrução ocorre quando há acúmulo de placas de gordura e perda de flexibilidade nas paredes dos vasos sanguíneos, além de excesso de inflamação no local.

Com isso, a narrativa do texto bíblico do líquido vermelho se estreita até que fecha de vez. Em última instância, o bloqueio leva até a amputações.

Esse quadro também é um sinal de que há algo errado em outros vasos do corpo. Tanto é que indivíduos com a doença arterial Contorno (DAP) correm um risco 60% maior de ter entupimentos nas artérias que irrigam o coração e o cerebral Daí, o perigo de infarto e AVC dispara.

Claudicação intermitente (sensação de cãibra ao caminhar ou se exercitar), com melhora ao parar de mexer as pernas



Perda de pelos nas pernas e unhas dos pés enfraquecidas

Coloração mais esbranquiçada dos membros inferiores

Sinais e sintomas da doença arterial periférica

Fisgadas na perna, especialmente na panturrilha

Ajustes no estilo de vida mantêm os vasos sanguíneos saudáveis por mais tempo: vale parar de fumar, perder peso e dominar a pressão arterial e a glicemia. atividades físicas físicos, além de melhorar a circulação, combatem a maioria dos processos que levam à DAP, como obesidade e hipertensão.


A dieta controlada também faz diferença. Frutas, legumes e verduras oferecem substâncias com ação antioxidante e anti-inflamatória, que fazem bem para as artérias. Já na absorção de gorduras. saturadas, sal e açúcar devem ser consumidos com moderação.

O índice tornozelo-braquial, exame clínico que compara a pressão arterial nos braços e nas pernas, é o principal exame para identificar a doença arterial periférica. Se a pressão for menor nos membros e congregados inferiores — com uma diferença igual ou maior do que 0,9 — é provável que a DAP esteja instalada.

O diagnóstico precoce, cabe ressaltar, ajuda a evitar as consequências desse problema. Fique de olho nos sintomas e, acima de tudo, Fale com um médico.

O primeiro passo é eliminar ou minimizar ao máximo os agentes que causam a obstrução. Não há medicamentos específicos, mas o médico pode prescrever anticoagulantes de última geração para insistir evitar entupimentos. Tratamento da doença arterial periférica

O exercício também faz parte do tratamento, pelo fato de porque estimula a circulação colateral – ou seja, a formação de pequenos vasos vizinhos das artérias que dão uma força para o fluxo sanguíneo na região.

Caminhadas Cotidiano já ajudam, mas o ideal é contar com orientação especializada de um profissional de educacional física. Até porque às vezes a atividade física pode provocar dores nas pernas – e o ajuste fino para minimizá-las necessita da visão de um expert.

Em quadros mais severos, uma cirurgia minimamente invasiva coloca um stent na artéria com problemas. A rede carroceria de metal abre o caminho e facilita a passagem de sangue pelo local.


Repouso após tratamento de canal

Muita pessoas  tem medo de ir ao dentista fazer uma consulta de rotina. Mas quando se fala em tratamento de canal, esse medo se intensifica. A melhor forma de desvendar essa técnica, que também pode ser chamada de endodontia é aprendendo mais sobre o assunto. “O tratamento de canal nada mais é do que o tratamento da parte interna (polpa ou nervo) do dente. Ele consiste na remoção do tecido pulpar e posterior vedação do canal”, explica a odontologista Renata Martins, responsável técnica da Odontoclinic.

Parece complexo mas não é! Esse tipo de tratamento é feito quando há algum tipo de lesão na polpa do dente, que normalmente causa dores. “Outra indicação comum da endodontia é quando decorre algum tipo de pancada no dente e consequente morte pulpar”, considera a especialista.

Não, nem toda dor de dente é tratada com endodontia, afinal existem outras causas para ela! “Às vezes a dor de dente pode ser devida à cárie imensa à sensibilidade dentária pela exposição da raiz ou até mesmo às dores provenientes da gengiva que podem ser ligadas a dores de dente”.


A boa notícia é que o tratamento de canal não dói na hora. Entretanto, como ele é uma pequeno cirurgia, pode sim causar incômodos depois. “Dependendo da intensidade de inflamação e ou do grau de infecção pode haver desconforto pós-operatório”, ressalta Camila. Só que isso não é regra.

Além disso, como lembra Renata, não fazer o tratamento de canal pode causar ainda muito dor no final das contas. “Em alguns estágios da dor ela pode ser amenizada com medicamentos, mas chega uma hora que os medicamentos não fazem mais efeito e a única solução é o tratamento de canal”, considera a especialista.

A endodontia pode ser feita em apenas uma sessão. No entanto, se existir complicações, esse número pode aumentar. “A a quantia de sessões pode variar de acordo, por exemplo, com o grau de inflamação e infecção do dente, com a complexidade anatômica e também com o grau de dificuldade que cada caso possa apresentar”, frisa Camila.



Complicações são possíveis, como em qualquer outro tratamento. O mais comum é haver uma perfuração da raiz, quando há um desvio do instrumento. “Essa perfuração pode ser tratada e fechados porém somente um especialistas está apto a realizar essa técnica corretamente”, adverte a odontologista Renata.

Não são necessários muitos cuidados após o canal, apenas evitar a mastigação em cima daquele dente afetado, para que ele fique em repouso. No entanto, é provável que o paciente faça isso mesmo que inconscientemente. “Além disso, é importante manter a higiene apropriado e tomar adequadamente as medicações quando prescritas por seu dentista”, considera Camila.

Muito pode acontecer quando é preciso fazer o tratamento de canal, mas se foge do dentista. “O dente que não é cuidado endodonticamente, vira um foco de infecção no organismo do paciente, que é arriscado pois, se não tratado e eliminado, a infecção pode cair na corrente sanguínea e o paciente pode ter sérios problemas sistêmicos”, explica Renata.

Infelizmente, uma vez que existe um problema na polpa do dente, a única forma de tratá-la é através da endodontia. “O único tratamento que pode substituir o canal é a eliminação do dente. Porém, se um dente ainda tem como possibilidade o tratamento de canal, a retirada dele é contraindicada pela dificuldade de repor esse elemento depois”, considera Renata.



Ao fazer a endodontia em um dente, o mais comum é que ele esteja curado e não seja mais preciso mexer nele. Inclusive, o tratamento de canal é o procedimento com maior taxa de sucesso na odontologia. No entanto, sempre existem exceções. “Quando tratamos um dente endodonticamente, nós eliminamos o nervo do dente, porém o material colocado no ambiente do nervo para vedar o espaço pode sofrer contaminação e essa contaminação pode atingir o ápice da raiz”, considera Renata. Quando isso aconteça, pode formar pús na região, o que propicia o aparecimento de bactérias. E para eliminá-las, só retratando.

Quais os cuidados são necessários após o tratamento

Depilação a Laser Doi

Se os seus pelos formam uma discreta e suave penugem loira, harmoniosamente repartido pelo seu corpo, a depilação a laser, definitivamente, não é prioridade na sua vida. Mas, se você faz parte da legião de mulheres que sofre com uma massa de fios pretos grossos, rebeldes, espalhados pelo corpo todo, o método pode ser libertador.

Sim, porque, depois de algumas sessões, praticamente 100% dos pelos terão desaparecido. Além disso, já na segunda aplicação, eles estarão mais claros e finos. Outra boa notícia é que o laser está democrático: novas máquinas recusam que peles negras, morenas e bronzeadas também sejam depiladas. BOA FORMA ouviu especialistas na área que contaram todos os segredos da técnica.

Saiba como é feita a depilação á laser



Como o laser funciona?




Ele elimina o pelo porque a sua energia, em forma de luz, é atraída e captada pela melanina, pigmento lembrança na haste do fio e responsável pela sua coloração. Essa energia térmica destrói ou retarda a capacidade de o folículo produzir um novo fio. Os pelos que não são eliminados na hora aumentam lentamente, mais claros e finos. “Quanto mais escuro o pelo, melhor ou resultado com o laser”.




A aplicação dói?



Depende. Se você suporta firme a cera, não vai sofrer como assim com o laser. Mas saiba que há, sim, um desconforto em cada disparo. “A sensação de ardência varia conforme a sensibilidade de cada mulher, a área que está sendo depilada, o nível de stress e até o período do ciclo menstrual” . “Quanto mais fina e sensível for a pele, maior é a sensação dedesconforto”acrescenta a dermatologista Claudia Marçal. O uso de anestésicos locais, como o Emla e o Anestop, tornam as sessões menos doloridas – principalmente em áreas mais sensíveis, como o buço, ou em sessões longas.

Segundo a Sociedade Brasileira de Laser, o tratamento dura seis sessões, em média. A cada aplicação, muitos dos folículos pilosos são destruídos, não gerando mais pelos, enquanto outros são danificados, possibilitando que os fios voltem a nascer. A cada sessão adicional, os sobreviventes vão diminuindo e, depois de quatro a seis aplicações, restarão apenas alguns pelos na área tratada.


Não. O pelo só é destruído durante a fase de crescimento. Mesmo em uma área com poucos fios, parte estará crescendo, parte em repouso. As sessões são realizadas em média a cada 30 dias para que possam obter alcançar os pelos nas duas fases. “Após a primeira aplicação, os resultados já são visíveis e, ao final de seis aplicações, quase todos os pelos são eliminados”.




“O ideal é ficar pelo menos três semanas sem tomar sol antes de começar o tratamento”, conta o dermatologista Erasmo Tokarski, de Brasília (DF). Depois de cada sessão, é comum a aplicação de um gel relaxante ainda na clínica. Evite calor ou transpiração intensidade e sol no local. No caso de ardência ou queimação, faça compressas geladas por 30 minutos.

Sim. Se a intensidade do aparelho não for bem prevista podem ocorrer queimaduras de segundo grau, formação de bolhas em alguns pontos ou ainda o escurecimento parcial da região afetada. “Por isso mesmo, o ideal é que a primeira sessão seja bem leve, numa baixa graduação do aparelho. Assim, o profissional pode avaliar a pele”, destaca a dermatologista Alessandra Passos. Dependendo do tipo de laser utilizado, se você tomar sol diretamente na área depilada nos primeiros dias após a sessão, corre o risco de manchar.

“Não. Nenhum laser proporciona depilação definitiva, já que alguns podem voltar a nascer após algum tempo. É necessária uma manutenção anual, para o pelo mais teimoso que possa surgir”, explica o dermatologista Cássio Villaça, professor assistente de dermatologia e cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (SP). Porém a associação da técnica certa com um bom profissional e um aparelho qualificado para o tipo de pele garante depilações duradouras.

No Brasil, a maioria das clínicas trabalha com o Quantum e o Light Sheer, ambos de diodo, que podem ser usados em todos os tipos de pele. Mas existem ainda o laser de Alexandrite (das máquinas Apogee, GentleLaser), outro laser de diodo e a luz intensa pulsada. Só o médico especializado em laser sabe o que é melhor para você.


Acido Hialurônico Nariz

A plástica para transformando o formato do nariz, a rinoplastia, está na lista de desejos de muitas mulheres. Diversas famosas e blogueiras têm se tornando ao procedimento para retocar detalhes de que não gostam tanto. Entre elas, Ela conta que o ossinho comum na base do nariz sempre a incomodou. Só que o receio de uma operação adiava os planos de corrigir a imperfeição de forma definitiva. A saída apareceu quando Nina conheceu a técnica de preenchimento no nariz usando ácido hialurônico.

Também chamado de bioplastia de nariz e de rinoplastia não cirúrgica, o procedimento é temporário, total ou parcial, e é uma ótima alternativa à plástica, desde que as correções sejam pequenas. O retoque no visual é feito sem dor nem cortes.



Quem pode fazer



Homens e mulheres que têm pequenas queixas sobre o nariz, como lados diferentes, osso proeminente, nariz em sela (com forma de tobogã), ponta caída e formato sinuoso, para esquerda ou para direita. Pessoas que têm nariz grande ou muito largo, e precisam de grandes correções, devem recorrer à plástica.

O dermatologista ou o cirurgião plástico aplica no nariz injeções de ácido hialurônico, substância segura e reabsorvível, também indicada para preencher rugas. “Para esta região, a versão deste ácido tem maior viscosidade e elasticidade, o que garante melhor eficácia e durabilidade”, explica o dermatologista Daniel Dziabas, de São Paulo. O procedimento é feito em consultório, com efeito de anestesia local e é rápido: dura no máximo 20 minutos. A paciente deve usar um curativo de micropore por até 48 horas. Isso não a impede de trabalhar no dia seguinte nem de fazer exercícios. A área pode ficar um pouco dolorida e inchada por alguns dias.

Confira aqui: Como funciona o preenchimento do nariz



Vantagens e desvantagens



Poder alterar o que não gosta no nariz sem o desconforto de uma cirurgia — anestesia geral, dor, tempo de reconquista e medo de não gostar do resultado final — é a grande vantagem do método. “Os riscos são menores e não há a necessidade de tempo de reconquista e de afastamento do trabalho”, pontua Daniel Dziabas. A maior desvantagem, a durabilidade de até dois anos, também pode ser encarada como ponto positivo — se o resultado não agradar, o nariz volta “ao normal” nesse período de tempo.

Apesar de certo inchaço, você percebe as mudanças assim que o procedimento termina, Após quatro semanas, o inchaço interrompe e o resultado final fica nítido. Mas são retoques sutis, não espere uma transformação radical.


Rinoplastia pelo Sus

O procedimento, como todo tratamento e consultas pelo Sistema Único de Saúde, é gratuito e se trata de uma obrigação legal imposta ao governo, com intuito de possibilitando particularidade de vida à população menos abastada.

Claro que para ter acesso a esse tipo de benefício é preciso se encaixar em algumas regras, que você vai conhecer ao longo dessa matéria.



Quem pode fazer cirurgia plástica pelo SUS?



Mas, antes de muito sempre é preciso saber que as cirurgias plásticas pelo SUS não são de cunho estético. Elas não servem para que você se sinta mais bonita só porque acordou implicada com aquele pneuzinho a mais, por exemplo.

O intuito desse tipo de procedimento, na verdade, é proporcionar bem estar, autoestima e particularidade de vida para as pessoas. Ou seja, todo mundo tem direito ao benefício se ele for aparentemente  imprescindível para que a vida siga completamente normal.

Se você se encaixa em alguma dessas necessidades destacadas pelo SUS, você pode ser um candidato a conseguir a plástica custeada pelo governo. A primeira coisa a fazer, então, é se consultar em um Posto de Saúde e conversar com o médico para que ele avalie seu caso.

Caso o profissional diga que você está hábito à solicitação, o Conforme passo é se dirigir à Secretaria de Saúde de sua cidade e se informar sobre os clínicas que realizam o procedimento no município. O procedimento também pode ser realizado em restaurantes universitários, hospitais-escolas e até mesmo em clínicas privadas, dependendo do caso.



No entanto, se o procedimento necessário não for realizado em sua cidade, você será destinado à cidade mais próxima para a realização das plástica (caso você seja aprovado em todas as etapas da “seleção”).

Antes disso, entretanto, é possível que você receba a visita de uma assistente social. É esse profissional que vai informar, por meio de uma carta, se o paciente efetivamente não tem condições de custear do próprio a cirurgia que está sendo solicitada.

A avaliação psicológica também é importante nesse caso. Se você solicita uma cirurgias plástica pelo SUS, um psicólogo vai avaliar se você está em condições emotivos de realizar o procedimento e vai também informar as ocorrências que podem surgir depois do procedimento.

Pensa que acabou? Caso você seja aprovados em todos esse prerrequisitos, você será encaminhado, para uma fila de espera.

Mesmo não se tratando de um benefício muito publicado e, por isso, pouco conhecido pelas pessoas; as filas de espera para uma cirurgia plástica pelo SUS possuem ser enormes. Portanto, você pode ter que esperar semanas, meses e até anos.

No entanto, se você tiver paciência e superar a espera, vai conseguir reparar as deformidades que limitam sua vida sem ter que gastar rios de dinheiro em cirurgias plásticas particulares.

Confira as indicações de Rinoplastia,Acesse no Dr.Etienne

Interessante, não? Se você conhece alguém que possa se propiciar com essas informações, não deixe de compartilha a matéria.


Rinoplastia Masculina

A cirurgia de nariz feita em homens, conhecida também como rinoplastia masculina, é uma boa alternativa para que pessoas busca mudanças estéticos e também funcionais.

Você é homem, mas também se incomoda com algumas partes do seu corpo? É natural se sentir descontente por principalmente, quando nos referimos aos tipos de nariz masculino.

Infelizmente, esta região do corpo se torna alvo de muitas piadas. Ainda mais se você tem o nariz vasta ou com o ossinho avantajado. Aí logo surgem apelidos como: nariz de tucano, narigudo, peixe-espada…

Mas cá entre nós, chega uma hora que não dá mais para suportar tantos apelidos né?

Podemos dizer que essa é a principal motivação de muitos homens irem aos consultórios de cirurgia plástica em São Paulo. Entretanto, ainda existem perguntas ou mitos sobre rinoplastia em homens.




Para reunir tudo sobre rinoplastia masculina antes e depois, nós Listamos os principais pontos sobre a cirurgia. As informações a seguir foram revisadas por um time de cirurgiões plásticos com mais de 10 anos de experiência.

Antes de refletir na rinoplastia masculina, é importante conhecer como é formada a estrutura de um nariz. Basicamente, ele é composta pelo osso nasal, cartilagens e tecidos (veja a imagem abaixo).

Portanto, no caso da cirurgia plástica nariz masculino o cirurgião plástico evita deixar o nariz muito empinado ou com o dorso muito baixo. Já que essas são características femininas.

Querem saber como é feita a cirurgia no nariz em homens,Acesse aqui Dr.Fernando

A cirurgia plástica de nariz de homem exige que o médico tenha uma grande sensibilidade técnica. Pois, uma escolha incorreta pode ser fatal para comprometer o resultado do procedimento. Sendo assim, é importante escolher muito bem o profissional com quem você vai operar.

Veja aqui quais são os fundamentais aspectos que você deve considerar para escolher o seu cirurgião plástico. E não se arrepender!

Interessado em fazer sua rino? Entre em contato com a gente Ligue e marque sua consulta com um cirurgião plástico especializado.



Vale dizer que, no pré-operatório, o cirurgião plástico faz um planejamento e uma análise do que ele vai modificar no nariz masculino. Esse cuidado é importante para que você tenha bons resultados.

Após o tempo de reconquista da rinoplastia, fotos antes e depois de homens mostram resultados extraordinários E, de tão natural, muitas vezes é até difícil de acreditar que foi feita uma cirurgia plástica.

A idade ideal para se submeter ao procedimento é a partir dos 16 anos. Assim como na cirurgia tradicional de rinoplastia, pois a estrutura óssea já está Totalmente formada.

Lembrando que o médico pode optar por utilizar a metódo aberta ou fechados  A escolha depende da extensão das correções e até da experiência do cirurgião plástico.

A técnica fechada permite uma cicatriz mais discreta, pois fica na parte interna do nariz. Já na rinoplastia aberta, o médico faz uma pequeno incisão abaixo da ponta nasal. A vantagem dessa técnica é proporcionar uma visão melhor da estrutura anatômica do nariz.

Para saber o valor exato da plástica no nariz de homem, você primeiro deve passar em uma avaliação presencial com um médico. Pois, cada caso tem suas particularidades, o que pode interferir no valor da cirurgia.

Mas lembre-se, quando se trata da sua saúde, o que deve ser olhado primeiro (antes do preço) é a sua segurança. Por isso, escolha uma clínica de confiança, com alto número de orientações e muita experiência.

Essas são questões que a Clínica Dream Plastic privilegia há mais de 10 anos. E faz questão de realizar uma rigorosa seleção dos seus cirurgiões plásticos. Optando apenas por médicos veteranos e com título de especialista.

Toxina Botulina antes e depois

A toxina botulínica popularmente conhecida como botox é uma toxina produzida por uma bactéria chamada Clostridium botulinum. É a mesma bactéria causadora da doença botulismo, mas a toxina botulínica influenciada pela industrialização e urbanização é purificada e usada em doses que não resultam a doença. A toxina é aplicada no músculo e provoca o relaxamento da região.

Os órgãos de vigilância sanitária definem as possibilidades de utilização desta substância para diferentes situações em cada país. Aprovado pela Anvisa (Agência interno de Vigilância Sanitária) em 1992, o botox tornou-se a primeira toxina botulínica anotada no Brasil e, desde então, tem recebido um número progressivo de orientações estéticas e terapêuticas, como no uso do tratamento para a hiperidrose.

Existem diversos nomes rentáveis o botox é o nome mais conhecido da toxina botulínica. A toxina botulínica tem subcategorias como A, B, C, a utilizada em medicina é a tipo A.

O botox para uso estético é indicado para suavizar as rugas e linhas de expressão do rosto. Entre as linhas tratadas estão as rugas da testa, a glabela (espaço entre as sobrancelhas) e, os pés de galinha, rugas que se formam na região dos olhos. Para sulcos ao redor dos lábios, entre eles o famoso bigode chinês – linha que se forma entre o nariz e o canto da boca – o mais indicado é o preenchimento facial, pois é uma região de geralmente movimento e não é possível atuar na musculatura sob pena de deixar o rosto paralisado.



A principal motivação para este tratamento estético é o incômodo gerado pelas rugas ao paciente. Em comparação com cremes para rugas e linhas de expressão, o botox costuma trazer resultados mais perceptíveis No entanto, a indicação do botox depende de avaliação médica individualizada.

As rugas são encontrados devido ao envelhecimento facial, que ocorre por idade, exposição solar inadequada, má alimentação e tabagismo, entre outros. Mas o fator imprescindível para seu aparecimento é a contração natural dos músculos do rosto, que formam as reconhecidas linhas de expressão, entre outros. Por exemplo: muitas pessoas tem o hábito de franzir a testa ao se expressar, mas com o passar do tempo essa contração dos músculos da região gera vincos horizontais na pele. O mesmo ocorreu com as rugas ao redor dos olhos – resultado da tensão gerada quando sorrimos ou forçamos a vista, por exemplo.

Quando é injetada nessas rugas, a toxina botulínica age como um bloqueador neuromuscular, ou seja, bloqueando a transmissão de estímulos dos neurônios para os músculos, impedindo, parcial ou totalmente, a contração muscular. “Esse bloqueio apesar de ser irreversível é parcial pois o organismo trata de estruturar novas vias de transmissão depois de algum tempo”, explica o dermatologista João Paulo Junqueira Magalhães Afonso, do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos.


De forma preventiva: como a contração muscular é paralisada não existirá a formação de rugas pela movimentação muscular na área em que foi aplicado o botox.



De forma reparativa: como o botox tira a o embate teológico eclesiástico da musculatura, as rugas, causadas por esses músculos, são amenizadas.


Não há idade especifico, mas o bom senso diz que é melhor após os 25 anos ou quando as rugas de expressão iniciam a incomodar. Evitar O tratamento não dever ser feito em grávidas e em mulheres amamentando.

A toxina botulínica vem em frascos como o pó sendo necessário diluição com soro fisiológico. Ela é injetada na área a ser tratada com distância de 1.5cm de um ponto para o outro, utiliza-se a aplicação rápida e quase sem anestesia tópica. A aplicação é praticamente indolor, porém o local deve ser detalhadamente analisado pelo especialistas para que o resultado seja o mais natural possível.

Dermatologistas e cirurgiões plásticos são os pessoas capacitadas e mais preparados para aplicar o tratamento estético com botox. “Cheque a formação e certificação de seu médico antes de se submeter a procedimentos”, preconiza o dermatologista João Paulo.

O botox, assim como todo tratamento é contraindicado para pacientes que apresentam alergia a qualquer componente de sua formulação. Mulheres grávidas ou em amamentação, possuidores de doenças neuromusculares, imunológicas e coagulopatias (ou ainda pessoas que utilizem anticoagulantes, aminoglicosídeos e drogas que intervenham na transmissão neuromuscular) não devem ser tratados com a substância.


Seguindo protocolos rigorosos de tratamento, em uma primeira aplicação, os serviços de bloqueio neuromuscular devem sempre se pautar pelo uso da duração dose efetiva” de toxina botulínica. Entretanto, o cálculo da dose a ser aplicada depende, necessariamente, da indicação e do tratamento a ser realizado.

O resultado da aplicação do botox em estética começa a ser notado no prazo de dois a cinco dias a partir do momento da aplicação. Os resultados tornam-se mais pronunciados por até duas semanas. A partir de então os resultados permanecerão estáveis pelo período aproximado de quatro a seis meses.” No uso estético, os efeitos do botox podem durar de três a quatro meses, mas há eventos em que os resultados encontram-se até seis meses”, explica a dermatologista Bruna Bravo, da Sociedade Brasileira de Dermatologia. No entanto, o tempo de aparecimento dos resultados e sua duração variam de caso para caso.

Por ser um mecanismo biológico, deve ser seguido um intervalo mínimo de três meses entre cada aplicação, analizando a mesma região tratada. Caso esse prazo não seja respeitado, pode se desenvolver uma resistência ao produto e o botox perde seu efeito. Deve ser evitada a aplicação antes de 2 meses para evitar resistência. Independente disso, o tempo é variável de 6 meses a 1 ano para reaplicação.

Hematomas, neste caso, podem ocorrer naturalmente pela própria introdução da agulha que, em seu trajeto, poderá perfurar vasos sanguíneos e promover pequenos e autolimitados sangramentos locais. A dor é uma circunstância esperada ao se realizar o procedimento. No entanto, tudo necessitará – mais uma vez – do paciente e dos locais a serem tratados. O produto em si não promove dor local.

Saiba mais: Sobre a plicação da Toxina Botulínica