Movimentação dos dentes com aparelho ortodôntico

O tratamento ortodôntico pode ser catalogado em 6 etapas, o que pode fazer ao paciente uma coisa de complicado percepção, no entanto essas etapas são fundamentais para um tratamento bem realizado e de qualidade.


Exame Principiante, reconhecimento e planejamento


Aqui, o paciente terá o primeiro contato com o ortodontista, no qual irá corporificar o exame cirurgião principiante, usado do reconhecimento e por fim, a decisão pelo tratamento. Essa etapa é de grande valia para o sucesso do tratamento.


Instalação do aparelho ortodôntico


Nessa etapa, o ortodontista instala o aparelho após a decisão do paciente em começar o tratamento. Para fins explicativos, usamos como malogro um tratamento assente permanente, sem que haja utilização de aparelhos removíveis ou procedimentos prévios. Logo após a colagem dos brackets, bandagem de dentes e instalação de acessórios e afins, um cordão ortodôntico rápido é hospedado e as orientações de higiene e afazeres com o aparelho são repassadas para o paciente.


Fileira e nivelamento dos dentes


O profissional ortodontista necessita se preparar antes de iniciar a realizar grandes modificações dentárias. Para isto, os dentes precisam estar todos alinhados e nivelados. Nessa etapa similarmente são feitas as correções de dentes com giros, e em alguns casos, extrações dentárias no momento em que necessárias. Pouco se faz nessa etapa, uma movimentação eloquente de dentes e o utilização de elásticos.

Clique Aqui: Como os dentes se movimentam com o aparelho ortodôntico

Os fios são leves e finos, frequentemente de uma coalizão de níquel-titânio, que é bem lento e não pleito muita vigor sobre os dentes. Essa etapa pode ser comparada a bem-feito de consolidação de uma casa, no qual posteriormente serão feitas movimentações mais extensas e forças maiores.


Etapa intermediária


Em seguida que os dentes estiverem alinhados e nivelados o satisfatório, fios mais pesados são instalados. Estes fios são frequentemente de aço, quadrados ou retangulares, sendo bem mais grossos que os iniciais. Não seria possível o seu utilização com os dentes desalinhados ou com giros. Por serem mais resistentes, não sofrem deformações facilmente e são capazes de resistir a forças de elásticos e mais acessórios ortodônticos. Nessa ciclo é no qual ocorrem o fecho de espaços, boca de lugar para implantes, correções de desvios dentários, fecho de mordidas abertas, etc. Pode ser a etapa mais demorada do tratamento.


Etapa de confecção


Aqui, é preciso o edificação do caso, uma vez que os dentes já estão se aproximando das suas posições finais. É bastante comum o utilização de elásticos verticais para melhor boquilha dos dentes. Alguns ortodontistas são capazes de realizar dobras nos arcos para ajustes de posições individuais, mais são capazes de recolher brackets para conquistar o mesmo resultado. É uma ciclo bem trabalhosa e requer assiduidade por parte do paciente e do ortodontista, uma vez que a impaciência para terminar o tratamento e remover o aparelho é bastante grande. Porém é preciso vários afazeres para não remover antes da momento, e dificultar todo o processamento.


Etapa de querela


Ao final do tratamento, especialmente nos primeiros meses, os dentes estão em uma situação de transposição e pouca estabilidade. É bastante fundamental a instalação das contenções ortodônticas superiores ( frequentemente removíveis) e inferiores ( frequentemente fixas). Não é possível permitir garantias de que os dentes vão se preservar na mesma opinião perpetualmente, no entanto as contenções aumentam a estabilidade das arcadas.

Paciente com mordidas abertas, prognatismo e práticas ruins são capazes de precisar de contenções diferenciadas. Essa ciclo marca o fim da parte ativa do tratamento ortodôntico, e a partir disso, inicia uma ciclo de orientação. O paciente precisa chegar a intervalos de 3 meses a 6 meses no consultório para acompanhar a estabilidade do caso.

FONTE:
https://www.clinicavipdent.com.br/