Nariz entupido após rinoplastia

Com mais de 6 milhões de seguidores no Instagram, a blogueira Mari Maria resolveu utilizar as redes sociais para difundir o que muita gente não vê: a recuperação de plástica no nariz. Ela gravou todo o processamento pós-cirúrgico e chegou a realizar imagens 4 horas depois de corporificar a rinoplastia, também no hospital.

Em um vídeo publicado em seu canal no YouTube, ela detalha todas as etapas da recuperação e apresenta-se com o frente também inchado e cheio de hematomas. “Se você pretende realizar alguma coisa, mesmo que seja bom para você, saiba que constantemente possui um valor ”, afirma.


Como adotar um clínico plástico com segurança?


A discórdia plástica não foi o essencial razão que a levou a optar pela intervenção plástica. A blogueira sofria de um chave de septo nasal, o que a fazia respirar com dificuldades.


No quarto dia após a plástica, Mari relatou que não sentiu dor nenhuma. “ Não estou com dor, é apenas um incômodo visto que você respira bastante pouco pelo nariz. Nos primeiros dias, não respirava nada ”, explica. Ela similarmente contou que o frente demorou 3 dias para desengrossar.


Confira o diário de recuperação em que ela conta todas as inseguranças pré-cirurgia e as dificuldades ao longo o processamento após a rinoplastia:


Como é feita a rinoplastia para chave de septo?


O septo nasal é a taipa composta de cartilagem e embaraço que divide o nariz em duas cavidades ou fossas nasais. A narina de indivíduos com chave de septo é mais estreita para a passagem de ar, dificultando a respiração.


De acordo com a médica otorrino Renata Regato de Mendonça Pilan, da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Intervenção Cérvico-Facial, ABORL-CCF, 85% das indivíduos apresentam chave do septo nasal em distintos graus de ortodoxia.



A intervenção que corrige o chave de septo é realizada sob anestesia maior parte, com bom dentro do nariz, sem gilvaz externa. A hospitalização frequentemente é de somente um dia. O propósito desta intervenção é atrair o septo nasal, sendo indicada no momento em que o chave pleito fechamento nasal fundamental ( nariz obstruído ), infecções nos seios paranasais (sinusites), cefaléia ( dor de cabeça ) e para complementar o tratamento do atroada e da apneia do sono.

Acesse Aqui: O pós-operatório da rinoplastia não costuma apresentar dor


Como qualquer outro técnica cirúrgico, o atenção ao adotar um clínico é primordial. A decisão de se reduzir-se à intervenção precisa provocar em consideração se os vantagens atingirão os seus metas e os riscas e potenciais problemas, que – como em toda intervenção – há.


Riscas e as problemas da plástica no nariz


Febre e dor: é comum no pós-operatório e, frequentemente, discreta e de possível controle
Sangramento: geralmente bastante reduzido e com benefício depois de alívio e compressas geladas. Pouco são volumosos, porém pode obrigar novo tamponamento, bandagem de vasos (cirurgicamente) e transfusão sanguínea
Infecção, abscesso e hematoma septal: pouco acontece, devendo ser controlada com curativos, drenagem e antibióticos.


Poço septal: é rara e frequentemente não pleito qualquer sinal, porém pode precisar de tratamento cirurgião ou de auxílio cirúrgico
Sinéquias: são aderências que são capazes de acontecer entre as paredes do nariz.

São desfeitas com curativos e, às vezes, exigem outra interferência cirúrgica


Retorno do chave ou chave residual: em técnicas bastante conservadoras, especialmente em crianças, a cartilagem será capaz de voltar parcialmente à opinião ou maneira antepositivo, por vezes necessitando re-intervenção.


Retorno da ganho de massa muscular ( crescimento ) das conchas: em casos de rinite alérgica.
Problemas da anestesia maior parte: nos dias de hoje com a progresso dos aparelhos de anestesia e dos novos remédios, o perigo anestésico diminuiu bastante, no entanto há um perigo de problemas em todo técnica cirúrgico.

FONTE: https://www.r7.com