Odontologia Curativa

No momento em que falamos da Odontologia e seu histórico, podemos obter referências nos tempos antigos. O conhecido por Primeiro Tempo – estudiosos dividem em cinco esta história – data da pré-história, com sua confirmação baseada em pinturas rupestres. Podemos expressar que a odontologia preventiva data apenas do quinto e último tempo dessa história, por meio do ano de 1950.


Antes desta data, era figurante comum a dos chamados Tiradentes. Os ‘ complicações ’ da Odontologia ’ eram resolvidos, na maioria das vezes, com as extrações dentárias. A evolução veio inicialmente com os materiais usados para as extrações, bem como as ancas usadas por esses profissionais. As primeiras novidades, até mesmo, foram no ataque das próteses dentárias.


A história da Odontologia aponta o último tempo como o das especialidades da setor, e similarmente o do início do foco na prevenção de doenças, e não apenas em sua maneira curativa. Vale advertir que as profissões da setor da saúde eram conhecidas como as que buscavam a ‘ arte da cura ’. Os vantagens da prevenção foram sendo experimentados e comprovados apenas nos últimos anos.


Evolução: da cura à prevenção


No Brasil, um nome precisa ser recorrido no momento em que o assunto é a prevenção da saúde bucal. O clínico dentista Edgar Del Passo idealizado em 1964 pela Faculdade Católica de Campinas, fundou em 1967 o Centro de Odontologia Preventiva, e ‘salvou’ milhares de indivíduos da procedência dentária, execução também bastante comum na época.

Saiba Mais: A Odontologia, como as demais ciências da área da saúde


Edgar Del Passo similarmente foi um nome fundamental ao usar o Técnico de Saúde Bucal, e o Ajudar de dentista, no óbolo dos profissionais e na prevenção das doenças bucais. Além disso, o clínico compôs a equipe que realizou o primeiro transplantação dental em Campinas, no ano de 1972.
Embora de ser localizados mais fácil indícios da execução da odontologia preventivasomente nos últimos anos, o francês Pierre Fauchard (1678 – 1761), considerado o estirpe da Odontologia moderna, já defendia a prevenção. Ele foi o primeiro a fazer-se ligamento entre os açúcares e a consumição dentária.


Citamos um pouco da história da odontologia para mostrar exatamente esse processamento de evolução. E como os profissionais e estudiosos foram preferindo a forma preventiva que a curativa de se alimentar doenças. Isso visto que a odontologia preventiva tende a ser a melhor escolha. Proteger-se e no momento em que não há outra escolha, recuperar.

É evidente que é preferível montar com uma boca sadio, que aguardar a enfermidade alcançar e em seguida partir para o processamento de cura. Hoje, há debates sobre o mercado odontológico, que conta com tratamentos cada vez mais especializados, e cada vez mais modernos. Enquanto há indivíduos necessitando e realizando esses tratamentos, o mercado está produzindo e lucrando com isto.
Porém, ao contrário da odontologia curativa, a preventiva tende a favorecer os próprios pacientes. Deixar a oco bucal constantemente sadio custa pouco que os tratamentos disponíveis.


Além disso, frequentemente depois de as doenças bucais aparecerem elas geram uma série de desconfortos aos pacientes. O que pode ser evitado se for empregado os preceitos da Odontologia Preventiva. Com eles, os pacientes são estimulados à oscilação de práticas, a amparo de costumes de higiene e refeição que venham a ajudar com a saúde bucal.


Isso não ou seja que a Odontologia Preventiva inutiliza a curativa. Ou seja que no momento em que, e se, a enfermidade surgir, ela será capaz de ser fraude bastante mais fácil com a amparo de práticas corretos.

FONTE: https://www.r7.com